Comandos SSH: veja a lista com os principais

Avatar

Redação

0 avaliações

27 de setembro de 2019 às 10:13

Seja para gerenciar uma hospedagem ou administrar sistemas, é necessário conhecer os comandos SSH.

Embora chamados de comandos SSH, muitos desses comandos são comandos básicos do Linux, e podem ser usados mesmo fora de uma conexão SSH. Assim, os comandos utilizados via SSH podem ser de ferramentas do próprio sistema ou programas instalados pelo administrador do servidor.

Existem várias maneiras de se fazer transferências de arquivos do seu PC para o servidor em que seu site está hospedado. A maioria dos usuários opta por sistemas com interfaces gráficas mais amigáveis, como os gerenciadores de arquivos ou programas de FTP.

Mas saiba que nem sempre essas opções são as mais seguras e ágeis para esse tipo de operação. Em alguns casos, a melhor alternativa é a utilização dos comandos SSH.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre o protocolo SSH e verá alguns dos principais comandos utilizados nesse tipo de transferência. Abra seu terminal, prepare os seus arquivos e continue lendo este post.

Conhecendo alguns termos envolvidos

A definição dos comandos básicos do Linux envolvem alguns termos que podem ser novos para quem não está habituado com o sistema. Por isso, para entender melhor o que cada comando faz, criamos uma breve lista de termos:

  • Shell - interpretador em linha de comandos, responsável por "processar" os comandos digitados no terminal.
  • Terminal - geralmente representado por um emulador de terminal, que possui uma interface gráfica para facilitar a utilização do shell;
  • Diretório - o mesmo que uma pasta;
  • Caminho do diretório - determina a localização de um diretório. Por exemplo, no Windows, "C:\Arquivos de Programas\" é o caminho da pasta "Arquivos de Programas.

Conhecendo os principais termos, podemos partir para o que interessa: os comandos básicos do Linux e os comandos SSH.

Comandos básicos do Linux

Para quem quer conferir os principais comandos básicos do Linux de forma rápida, basta usar a tabela de referência abaixo:

Comando Descrição
cd Muda o diretório.
ls Lista o conteúdo de um diretório, mostrando o nome dos arquivos e diretórios de um diretório.
pwd Mostra o caminho do diretório atual em que você está.
mkdir Cria novos diretórios.
cp Copia arquivos e diretórios.
mv Move e arquivos e diretórios.
cat Concatena arquivos e mostra seus conteúdos.
touch Cria um novo arquivo vazio ou muda estampa de tempo de um arquivo.
rm Remove/deleta arquivos ou diretórios.
grep Busca e mostra conteúdo de um arquivo baseado num padrão específico.
find Pesquisa arquivos e diretórios no sistema.
locate Encontra arquivos baseado em seus nomes.
history Exibe histórico dos últimos comandos utilizados.
man Mostra o manual para determinado comando ou programa.
free Exibe a quantidade de memória RAM usada (e livre) no sistema.

Além dos comandos básicos do Linux, você pode iniciar programas como vi e nano, que são editores de texto com interface em linha de comando e podem ser usados para editar arquivos durante o acesso remoto via SSH.

O que é protocolo SSH?

O termo SSH é um acrônimo de Secure Shell. Ele se refere a um protocolo de transferência de arquivos para o servidor. Apesar de ser um pouco mais complexo do que outras ferramentas, ele acaba sendo mais vantajoso por dois motivos:

  • Segurança: como possui criptografia de ponto a ponto, apenas o computador de saída e o servidor de hospedagem possuem a chave para descriptografar os arquivos;
  • Confiabilidade: por estabelecer uma conexão remota, as transferências são mais são mais confiáveis. O usuário consegue executar comandos básicos do Linux e programas instalados no servidor de hospedagem.

Como utilizar o SSH?

Se você for usuário de Mac ou Linux, poderá acessar o SSH diretamente pelo terminal do sistema operacional, sem a necessidade de instalar outros programas, pois o programa cliente de SSH já é instalado por padrão nesses sistemas.

No entanto, se você utiliza o Windows, será necessário instalar um programa que vai servir como um cliente SSH. O programa mais popular e recomendado para o acesso SSH no Windows é o PuTTY.

Comandos básicos do Linux - Acesso SSH via PuTTY

Para acessar ou conectar o terminal utilizando o Putty, precisará dos seguintes dados:

  • Nome de usuário - o nome do usuário do servidor de hospedagem;
  • Host name — o seu domínio (sem o www) ou o endereço de IP do servidor;
  • Porta — por padrão é 22, mas verifique o painel do seu servidor de hospedagem.

Além disso, você pode precisar indicar o tipo de conexão e habilitar o acesso SSH no painel de controle de hospedagem.

Ao conectar você será recebido com uma mensagem de boas vindas e terá acesso aos programas e comandos básicos Linux a partir do servidor de hospedagem.

Como acessar um servidor via SSH no Linux

O primeiro comando que você deve executar é o — $ ssh [email protected] — substitua a palavra admin por seu nome de usuário e minhapagina.com pelo seu IP do servidor ou domínio de seu site. Depois, você deverá informar a senha de acesso ao servidor, e apertar Enter. Se a operação for bem-sucedida, na linha abaixo aparecerá:

  • [email protected] [~]$ — admin, que será substituído pelo seu usuário seguido pelo nome do servidor no qual está conectado.

Comandos SSH com exemplos

Como vimos, os comandos usados via SSH podem representar comandos do shell, programas do sistema ou programas instalados por usuários. Agora que você já conhece os comandos básicos do Linux, confira alguns exemplos práticos para saber como usá-los e como eles podem ser úteis durante o acesso remoto via SSH.

Listando arquivos e diretórios com ls

O ls é um programa utilizado para listar os arquivos e diretórios de um diretório. Ele pertence ao pacote coretuils, junto com outros utilitários essenciais que são incluídos por padrão na maioria das distribuições Linux.

Comandos básicos do Linux - ls

Combinado com outros comandos, ele pode refinar um pouco mais as informações exibidas.

ls ~ - mostra os arquivos que estão em seu diretório pessoal;

ls -hal ~ — mostra os arquivos que estão em seu diretório pessoal, até os que estiverem ocultos.

O sufixo -hal se referem às opções passadas ao executar o comando, sendo:

  • -h — exibe os dados de formas legíveis para humanos, como tamanhos dos arquivos em KB ou MB, ao invés de Bytes;
  • -a — exibe arquivos e diretórios ocultos;
  • -l — exibe os arquivos em uma lista.

Existem várias opções que podem ser passadas no comando ls, para saber mais, veja o manual com o comando $ man ls.

Criando diretórios com o mkdir

É o comando que permite a criação de um ou mais diretórios no servidor. Para utilizá-lo, você deverá digitar o comando, acompanhado do nome que deseja colocar na pasta — $ mkdir imagens, por exemplo —, para criar um diretório chamado “imagens”.

Usando a opção -p é possível criar uma estrutura de diretórios com apenas um comando. Desta forma, você pode criar vários diretórios de uma só vez:

$ mkdir -p blog/imagens/fotos/

Esse comando resultará na criação do diretório "fotos", dentro do diretório "imagens", que estará dentro do diretório "blog".

Comandos básicos do Linux - mkdir

A opção -p (ou --parents) indica que os diretórios pai serão criados se for necessário, caso já existam, não serão criados.

Mostrando o caminho do diretório atual com o pwd

Ele indica o caminho do diretório, “path”, onde você está operando no momento. A sigla PWD vem das palavras Print Working Directory, que em português seria imprimir diretório de trabalho.

Comandos básicos Linux - pwd
  • Comando: $ pwd
  • Resultado: /home/melhorhospedagemdesites

Mudando de diretórios e navegando no sistema com cd

A sigla “cd” se refere à Change Directory, que em português seria "mudar de diretório". E é exatamente isso que o comando faz: ele permite que você troque de diretório. Para isso, basta que, após colocar o comando $ cd, você digite o nome do diretório para o qual gostaria de ser direcionado. Veja algumas aplicações desse comando:

$ cd .. — sobe um nível a partir do diretório atual;

$ cd /home/melhorhospedagemdesites — acessa o diretório home do usuário melhorhospedagemdesites.

Copiando e movendo arquivos e diretórios com cp e mv

O comando $ cp é utilizado quando o usuário quer fazer a cópia de algum arquivo ou pasta, preservando o original. Para executá-lo, você deve indicar o nome do arquivo que será copiado e o nome do novo que será criado. Você poderá até salvá-lo em outro diretório.

Veja alguns exemplos de uso abaixo:

  • $ cp arquivo.jpg imagem.jpg — faz uma cópia do arquivo.jpg e salva no mesmo diretório, com novo nome, imagem.jpg;
  • $ cp arquivo.jpg /home/user/pasta2/arquivo1.txt — cria uma cópia com o mesmo nome, e salva no diretório pasta2.

Utilizado para mover diretórios e arquivos, o comando $ mv deriva da palavra em inglês “move”, que na tradução literal em português significa “mover”.

Comandos básicos Linux - cp e mv

Diferentemente do comando $ cp, ele apenas move o arquivo para outro diretório, sem copiar. Esse comando também pode ser utilizado para renomear um arquivo ou diretório.

Confira abaixo alguns exemplos:

$ mv imagem.svg /vetores/imagem.svg — move o arquivo para dentro da pasta vetores;

$ mv texto.txt post.txt — renomeia o arquivo mantendo no mesmo diretório.

Exibindo o conteúdo de arquivos com cat

Esse comando é utilizado para a visualização do conteúdo dos arquivos. Para executá-lo, o usuário deve digitar o nome do arquivo após o comando. O conteúdo será exibido no terminal, por exemplo:

$ cat estilo.css — ao executar esse comando, serão exibidas as linhas do código CSS do arquivo no terminal.

Editando arquivos com vi ou nano

O comando $ vi permite ao usuário editar arquivos diretamente no terminal. Para quem não tem muita intimidade, pode parecer um pouco assustador, por não funcionar de uma forma muito intuitiva.

Comandos básicos Linux - vi

Para abrir um arquivo utilizando o comando, siga o exemplo abaixo:

$ vi arquivo.html o nome do arquivo deve vir logo após o comando.

$ nano arquivo-de-texto.txt o nome do arquivo deve vir logo após o comando.

Depois de abrir o arquivo, entre no modo de navegação, que lhe permitirá salvar as alterações e localizar trechos de código. Será necessário acessar o modo de edição, pressionando a tecla :i. Para finalizar as edições, aperte a tecla Esc e utilize o caractere de dois pontos ':' para executar comandos no editor. Por exemplo, o comando ':w' para salvar as alterações. Para sair do arquivo, digite no terminal o comando ':q'.

O vi é um avançado editor de texto presente na maioria dos sistemas operacionais baseados em Unix, como Linux, macOS e FreeBSD.

Compactando e descompactando arquivos com zip e unzip

O nome do comando é autoexplicativo. A palavra “zip”, para quem está familiarizado com informática, está quase sempre relacionada à compactação de arquivos ou pastas. E o comando $ zip faz exatamente isso.

Se você pretende compactar uma pasta com todas as subpastas, deverá usar a opção -r. Acompanhe:

  • $ zip -r backup.zip pasta-de-backup — cria o arquivo backup.zip, que contém todos os arquivos e pastas dentro do diretório “pasta-de-backup”.

Para descompactar, utilize o comando unzip.

Compactando e descompactando arquivos com tar

Esse comando serve para agrupar arquivos, e é bastante utilizado por usuários de Linux, por conta de suas opções. Você pode adicionar alguns parâmetros para acompanhar o processo de compressão em tempo real.

Observe o seguinte exemplo: $ tar -cvzf backup.tar.gz principal — que cria o arquivo backup.tar.gz, contendo todos os arquivos e pastas dentro do diretório “principal”. Note que junto ao comando $ tar, aparecem os parâmetros, cvzf, que significam:

  • -c — cria o arquivo;
  • -v — exibe a ação no terminal;
  • -z — comprime o arquivo;
  • -f — comando que permite a nomeação do arquivo.

Leia o manual

Se você está em dúvida da utilização de um determinado programa ou comando Linux, você pode usar o comando man para ver o manual do programa, assim como as instruções de como utilizá-lo.

Os comandos básicos do Linux estão disponíveis na melhores provedores de hospedagem de sites que suportam o acesso via SSH, mas para ter acesso aos programas e comandos SSH que você quiser, é necessário um VPS. Confira a lista com os melhores provedores abaixo:

Destaque A partir de Sistema operacional
Hostinger Melhor custo-benefício R$ 2,29/mês Linux
UOL HOST Plano inicial mais barato R$ 9,90 /mês Linux ou Windows
WebLink Servidor pronto para WordPress e Magento R$ 2,55/mês Linux
GoDaddy Hospedagem VPS com cPanel ou Plesk R$ 6,99 /mês Linux ou Windows
HostGator Servidores flexíveis e escaláveis R$ 8,37 /mês Linux

Quer conhecer mais sobre os melhores provedores de VPS do Brasil? Veja o nosso conteúdo sobre servidor VPS e faça a melhor escolha.


Avatar
Redação

Melhor Hospedagem de Sites é um projeto com o objetivo de ajudar as pessoas na busca pelo lugar ideal para hospedar seus sites, trazendo informação e conhecimento sobre o universo de hospedagem de sites.


TOP 3 Provedores de Hospedagem
Hostinger logo
9.9 /10
GoDaddy logo
9.1 /10