Como usar WordPress: um guia de ferramentas

  • Última atualização: 30 de outubro de 201830 de outubro de 2018 por
  • Redação
Como usar WordPress: um guia de ferramentas

No final da década de 80, Tim Berners-Lee criava a primeira página web da história com a linguagem HTML, tecnologia que acabou tornando-se a principal interface da internet. Mas foi apenas com o surgimento dos Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo (em inglês, Content Management System — CMS) que a web começou a crescer exponencialmente para se tornar o que é hoje. O motivo? Muito simples: os CMS dispensavam conhecimentos técnicos de programação para criar, editar, gerenciar e publicar conteúdo na web. E dentre as plataformas do gênero, o WordPress é, sem dúvida, uma das mais usadas e queridas de todo o mundo.

Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre a história desse CMS e os motivos que o tornaram um dos mais populares da internet, além de um tutorial completo de como usar o WordPress para criar e gerenciar seus sites. No final, ainda vou dar umas dicas dos principais sites para encontrar templates profissionais, os plugins que não podem faltar no seu projeto web e atalhos para aumentar sua produtividade. Me acompanhe nessa jornada!

O que é o WordPress?

O WordPress é um CMS de código aberto desenvolvido com a linguagem de programação PHP e com o banco de dados MySQL. Foi criado em 2003 pelos desenvolvedores Matthew Mullenweg e Mike Little como um projeto independente a partir do código-fonte de seu precursor, o b2/cafelog.

O CMS já ganhou vários prêmios, dentre eles, o de aplicação web de código aberto do ano (Open Source Web App of the Year Award). Atualmente, o WordPress encontra-se na versão 4.9.1 e está presente em 29% da internet, de acordo com seus fundadores.

Por que usar o WordPress?

A popularidade do WordPress deve-se, sobretudo, à comunidade. Comparado com seus principais concorrentes, Joomla e Drupal, o WordPress é o que mais possui temas e plugins, além de um fórum ativo para tirar dúvidas dos usuários.

O WordPress também é o mais simples dos três, além de ser conhecido pela famosa “instalação de 5 minutos”. Mais à frente, veremos como sua instalação é realmente fácil e rápida.

Além das vantagens para o desenvolvedor, o WordPress é uma excelente escolha por facilitar o trabalho de quem de fato gerencia a plataforma. Ele foi desenvolvido para que qualquer um possa utilizar o painel administrativo e o editor de conteúdo de forma intuitiva.

Se você nunca ouviu falar de CMS, então é importante que compreenda alguns conceitos antes de ir para a prática, como tema, plugin, widget e post.

  • tema: é um site modelo no qual você insere conteúdo próprio e personaliza alguns elementos de estrutura e design. O grau de personalização varia de um tema para outro. Você pode instalar temas de terceiros (gratuitos e pagos) ou desenvolver o seu próprio, seguindo a documentação do CMS;
  • plugin: é uma extensão para adicionar novas funcionalidades em seu site sem mexer diretamente no código. Os plugins são gerenciados pelo WordPress e podem ser instalados diretamente do painel administrativo ou baixados no site oficial;
  • widget: é um microaplicativo desenvolvido para adicionar funcionalidades simples ao site, como calendário, comentários, últimas publicações etc;
  • post: é uma publicação gerenciada de forma dinâmica pelo código do WordPress. O conteúdo fica no banco de dados e só é carregado quando uma requisição é feita no site pelo usuário.

De modo geral, os principais recursos do WordPress são, por um lado, os gerenciadores dinâmicos de posts e páginas; e por outro, os instaladores de temas e plugins de terceiros.

Como começar a usar o WordPress?

Já conhecemos um pouco de sua história e suas principais características. Agora é o momento de partir para a prática. Então continue comigo neste post para conhecer o incrível mundo do WordPress.

Dica matadora: antes de qualquer projeto web, defina primeiro um público-alvo e um objetivo principal. Dessa forma, suas escolhas sobre assuntos, formatos, visual, dispositivos, dentre outras; não serão um tiro no escuro, mas decisões conscientes tomadas com base em um escopo bem delineado.

Não caia na falácia do “público geral”, nem fique tentado a usar um tema com as tendências de design da atualidade. Tome decisões que apontem para o seu público e objetivo.

Antes de continuar, cabe ressaltar que há diferenças entre o WordPress.org e seu par menor, o WordPress.com. O primeiro é um projeto de código aberto, e, portanto, gratuito, sobre o qual você pode desenvolver seus próprios temas e plugins. O segundo é propriedade da Automattic, empresa dos fundadores do WordPress, que oferece serviços de domínio e hospedagem para blogs e sites desenvolvidos com o CMS. Adiante, abordarei as diferenças práticas entre cada uma dessas soluções no momento de criar seus sites.

Sendo assim, você tem três principais caminhos para criar um site WordPress: WordPress.com, via hospedagem ou localmente. E a melhor escolha vai depender do escopo do seu projeto, mencionado logo acima.

Criar site via WordPress.com

Essa é a forma mais simples e rápida de criar um site WordPress. É ideal para blogs e sites cuja personalização não seja um ponto imprescindível.

Para criar um site, basta acessar https://br.wordpress.com e fazer seu cadastro de usuário.

O plano gratuito oferece hospedagem e um subdomínio em troca de uma publicidade no rodapé do seu site.

O plano pago mais barato, de US$4 por mês, oferece um domínio personalizado, instalação de plugins, ferramenta de envio de e-mails, chat, customização avançada de design e 6GB de armazenamento, além de retirar o anúncio.

Instalar WordPress via hospedagem

A segunda forma de criar seu site com WordPress é através do seu serviço de hospedagem. É bem simples, ainda que exija um pouco de conhecimento técnico.

O primeiro passo é comprar um domínio e contratar um serviço de hospedagem WordPress. Neste link você pode ver um comparativo entre diversos servidores. A maioria oferece instalador automático de WordPress, mas confirme antes de comprar. Não se esqueça de avaliar se o plano oferecido atende às necessidades do seu projeto.

Uma vez feito isso, acesse o painel de controle da sua hospedagem e busque pela seção “Instalador de Aplicativos”, ou nome semelhante. Se a opção WordPress não estiver visível, encontre o aplicativo por meio do buscador e clique em “Instalar”.

Em seguida, preencha os formulários com as informações do seu site. No geral, é pedido domínio, nome, descrição, nome de usuário, e-mail e senha.

Após a instalação, faça o login no seu site e configure as informações básicas, como idioma, fuso horário etc.

Por último, escolha um tema e plugins para seu site. Diferentemente do WordPress.com, no WordPress.org você não precisa pagar para ter acesso ao repositório de plugins.

Desenvolver WordPress localmente

Até aqui vimos soluções básicas voltadas para quem precisa de um site rápido e fácil. Mas se você quer ver o WordPress brilhar, então precisa de algumas ferramentas e conhecimentos mais avançados para explorar ao máximo o potencial do CMS.

Este é o caminho ideal para quem deseja um projeto 100% customizado, pois permite um fácil acesso aos códigos do tema do seu projeto, sem contar que não depende de conexão à internet para instalar e configurar. Fazer alterações no código do site quando ele já está no servidor web é muito cansativo, pois toda vez que você precisar fazer alguma alteração no código, terá que baixar o arquivo, modificá-lo, e subi-lo novamente. Ou pior ainda, usar o editor de código do WordPress ou do servidor.

Outro benefício de desenvolver localmente, é que o site só aparece ao público depois que ele estiver pronto e testado. Isso evita retrabalho, economiza seu tempo e sua paciência.

Apesar de requerer conhecimentos um pouco mais avançados, não é nenhum cão de três cabeças que guarda a entrada para o mundo profundo do WordPress. Acompanhe-me e veja você mesmo!

Servidor local

Primeiro, você vai instalar o WampServer, porque vai precisar simular um servidor localmente, e o FileZilla, para transferir os arquivos para sua hospedagem de forma fácil e segura.

Banco de dados

Antes de instalar o WordPress, você precisa criar um banco de dados. Para isso, rode o WampServer. Após o ícone do servidor ficar verde, clique sobre ele e, em seguida, clique em phpMyAdmin.

Em “Utilizador”, escreva “root”. Deixe o campo de palavra-chave em branco e pressione “Executar”.

Na barra lateral esquerda, clique em “New” para criar um novo banco de dados. Dê um nome para ele e pressione em “Criar”. Uma observação: esse nome não pode ter espaços, acentos ou cedilha.

É recomendado criar um usuário específico para esse banco de dados. Para isso, na barra lateral esquerda, clique sobre o banco de dados criado, e em seguida, clique na aba “Privilégios”.

Com a aba “Privilégios” aberta, clique em “Add user account”. Dê um nome ao usuário e uma senha. Logo abaixo, selecione a caixa “Privilégios Globais” e clique em “Executar”.

Download do WordPress.org

Acesse a página WordPress.org para fazer o download do CMS, que na data de criação deste post estava em sua versão 4.9.1. Descompacte o arquivo e mova a pasta “wordpress” para a pasta “www”, do WampServer, normalmente localizada neste caminho: C:\wamp64\www.

Renomeie a pasta “wordpress” para o nome do seu domínio local. Não utilize espaços, acentos ou cedilha no nome.

Para ficar claro, a estrutura de pastas deve ser a seguinte:

  • C:\wamp64\www
    • meuprojeto
      • wp-admin
      • app
      • wp-includes

Instalação

Cheque se está tudo correto e digite “localhost/meuprojeto” na barra de endereços do seu navegador.

O arquivo de configuração do WordPress irá carregar. Escolha um idioma e pressione em “Continuar” e depois em “Vamos lá”.

No formulário, escreva o nome do seu banco de dados, nome de usuário e senha. Nos campos “Servidor do banco de dados” e “Prefixo da tabela”, deixe como está.

Se as informações estiverem corretas, você receberá uma mensagem de confirmação da conexão do seu WordPress com o seu banco de dados. Então clique em “Instalar”.

Em seguida, preencha o formulário com as informações do seu site, como nome, usuário, senha e e-mail, e clique em “Instalar WordPress”.

Pronto! Agora basta fazer o login e começar a configurar seu site. Mude de tema e instale plugins, se necessário.

Publicação

Quando seu site estiver 100% pronto, é hora de publicá-lo para o mundo. Para isso, é necessário subir os arquivos no servidor e criar um banco de dados para que esteja disponível na web.

Vamos primeiro fazer o download do banco de dados local. Rode o WampServer, clique sobre o ícone após ficar verde, e em seguida, clique em phpMyAdmin. Encontre e clique sobre seu banco de dados. Na aba “Exportar”, clique em “Executar”. Em seguida será feito o download do seu banco de dados local.

Agora acesse o painel de controle da sua hospedagem, e busque por “Gerenciador de Banco de Dados”, ou nome semelhante. Crie um novo banco de dados com nome, usuário e senha. Volte ao painel de controle e abra o phpMyAdmin (o da hospedagem, não o local). Com ele aberto, encontre e clique sobre o novo banco de dados. Na aba “Importar”, clique em “escolher arquivo”. Selecione o banco de dados local baixado anteriormente e clique em “Executar”.

Por fim, você vai precisar atualizar os links do seu banco dados. Para isso, abra o phpMyAdmin, clique sobre o banco de dados e rode, um de cada vez, estes três códigos na aba SQL:

  1. UPDATE wp_options SET option_value = replace(option_value, 'http://localhost/meusite.com', 'http://http://meusite.com') WHERE option_name = 'home' OR option_name = 'siteurl';
  2. UPDATE wp_posts SET guid = replace(guid, 'http://localhost/meusite.com','http://meusite.com');
  3. UPDATE wp_posts SET post_content = replace(post_content, 'http://localhost/meusite.com', 'http://meusite.com');

Onde está escrito “http://localhost/meusite.com”, insira o endereço local do seu site.

Onde está escrito “http://meusite.com”, insira o seu domínio.

Enviar arquivos via FTP

O próximo passo é subir os arquivos do site no servidor. Para isso, vamos utilizar o FileZilla, que será o responsável por fazer uma conexão via FTP com sua hospedagem e facilitar a transferência de arquivos.

Abra o FileZilla e preencha os campos “host”, “usuário”, “senha” e “porta” para fazer a conexão com o servidor. Essas informações podem ser encontradas no painel de controle da sua hospedagem. Em último caso, entre em contato com o suporte técnico para consegui-las.

Após estabelecer conexão com sua hospedagem, na aba "Endereço remoto", no lado direito, abra a pasta "public_html".

Ao lado esquerdo, na aba "Endereço local", abra a pasta do seu projeto, no caminho C:\wamp64\www\meuprojeto.

Copie todos os arquivos dentro da pasta "meuprojeto" para a pasta "public_html". Caso queira que o site abra em um subdomínio, basta criar uma pasta dentro de "public_html" e transferir os arquivos para lá.

Por fim, apague o arquivo wp-config.php, localizado na pasta raiz do seu projeto.

Agora basta digitar o domínio do seu site no navegador. Clique em “Vamos lá” e preencha o formulário com as informações do seu novo banco de dados.

Pronto, seu site estará no ar!

Quais são os melhores repositórios de temas?

Se você não quer programar seu próprio tema WordPress, então é importante conhecer sites confiáveis para encontrar e baixar temas que atendam às demandas do seu projeto web.

WordPress.org

O principal repositório de temas gratuitos para WordPress é o próprio site do CMS. Nele você consegue encontrar os temas em destaque ou filtrar por modelo, características e assunto. Por exemplo, você pode querer um site voltado para fotografia, com layout de três colunas, menu personalizado e imagens de destaque. O WordPress.org encontra temas assim para você.

Quanto mais fina for a busca, menos tempo você passará buscando o tema ideal. Lembre-se o que foi dito no início do post, se você tiver um escopo bem definido, fazer esse filtro não será um passo difícil.

Elegant Themes

Elegant Themes é uma empresa especializada em temas WordPress, com mais de 80 deles em seu catálogo.

O Divi é o seu carro-chefe. Provavelmente seja o tema pago mais famoso da internet. Mas não é seu design simples e elegante o responsável por toda essa fama. O Divi é um construtor de páginas (page builder) intuitivo, que dispensa o conhecimento em programação.

Em cada seção, você define um layout de colunas, e nelas, adiciona módulos variados, como vídeo, imagem, texto, slide, tabela, barra de contagem, formulário, entre outros. Esse sistema modular de construção cria um leque extenso de possibilidades para construir seu site.

Além disso, é possível adicionar um bloco de código, no qual é possível personalizar 100% uma determinada parte do site.

No Elegant Themes existem outros temas que incluem o construtor do Divi, em forma de plugin. Dessa forma, você pode variar de tema sem abrir mão do construtor.

Theme Forest

O Theme Forest é um marketplace de venda e compra de temas WordPress pertencente a Envato. No ar desde 2008, a plataforma conta com mais de 11 mil temas no catálogo e atende os mais variados tipos de segmento.

É um dos repositórios de temas WordPress pagos mais famosos da atualidade. O valor mínimo de cada template é de US$13, no entanto, a qualidade é garantida pela curadoria do próprio site.

Para encontrar seu template, você pode filtrar por categorias como corporate, blog magazine, e-commerce; e tags como clean, modern, creative, minimal.

O site também informa uma ficha técnica do tema, na qual você pode ver os browsers compatíveis, a versão do WordPress, os tipos de arquivos que incluiu, responsividade, entre outros dados.

Além disso, a plataforma permite fazer um preview do tema em funcionamento. Essa funcionalidade ajuda a escolher o tema ideal para você, pois é possível experimentá-lo sem pagar.

Quais são os melhores plugins?

Não poderia deixar de citar cinco dos plugins gratuitos mais famosos e recomendados para todo tipo site WordPress.

Yoast SEO

Se você quer que seu site seja encontrado pelos motores de busca da internet, então você precisa dar atenção ao Search Engine Optimization (SEO). E o plugin Yoast SEO é um dos melhores para esse fim.

Traduzido para 34 línguas e instalado em mais de 5 milhões de sites, o plugin facilita a edição de metadados voltados para os buscadores. Isso não apenas ajuda seu site a ser encontrado, mas otimiza a forma como ele vai aparecer nos buscadores.

Contact Form 7

Igualmente famoso, o plugin Contact Form 7 facilita a criação de newsletter e formulários para o site. Está traduzido em 47 idiomas e instalado em mais de 5 milhões de sites WordPress.

O plugin conta com diversos complementos que o tornam ainda mais eficiente. Por exemplo, o Contact Form DB, que salva os formulários de contatos preenchidos em um banco de dados, no lugar de enviar para seu e-mail.

Outro plugin complementar interessante é o Free SMS Add On for Contact Form 7. Como o nome diz, ele envia um SMS para seu celular toda vez que um formulário é preenchido e enviado com sucesso no seu site.

Jetpack

O Jetpack é um plugin WordPress multiuso desenvolvido pela Automattic, empresa dos fundadores do CMS. Ele é um conjunto de ferramentas, como estatísticas, botões de compartilhamento em redes sociais, publicações relacionadas, encurtamento de links, entre outras funcionalidades.

O plugin, que já foi instalado em mais de 4 milhões de sites, conta também com interessantes recursos de mídia. Os principais são slideshow; incorporação de vídeo do YouTube, Google Docs, Spotify; widgets para calendário, blog e autor; além de um Content Delivery Network (CDN) para aumentar a velocidade de carregamento das imagens.

WP Super Cache

E por falar em aumentar o carregamento, não poderia faltar nesta lista o plugin WP Super Cache. Também criado pela Automattic, como o nome sugere, esse plugin gera cache de arquivos html estáticos para diminuir o número de processamento de scripts PHP.

Sendo assim, caso o usuário não precise fazer um login, comentar no blog ou coisa semelhante, o WordPress entrega uma página estática, mais leve, e por tanto, mais rápida.

O plugin também está entre os mais instalados e conta com tradução para 14 países.

Google Analytics Dashboard

Por último, está o Google Analytics Dashboard. Um plugin que vai te ajudar a instalar os códigos do Google Analytics para rastrear o tráfego do seu site.

O diferencial do plugin é o quadro de estatísticas. Dessa forma, você pode ver dentro do próprio WordPress os dados sobre seu tráfego, como número de visitas únicas, buscas orgânicas, canais, origem.

O plugin está instalado em mais de 1 milhão de sites e conta com tradução para 22 países.

Quais são os melhores hacks?

Por último, vamos conferir alguns atalhos para aumentar a sua produtividade com o editor de conteúdo do WordPress. Confira:

Título 1Alt + Shift + 1
Título 2Alt + Shift + 2
Título 3Alt + Shift + 3
Título 4Alt + Shift + 4
Título 5Alt + Shift + 5
Título 6Alt + Shift + 6
ParágrafoAlt + Shift + 7
NegritoCtrl + B
ItálicoCtrl + I
SublinhadoCtrl + U
TachadoShift + Alt + D
CitaçãoShift + Alt + Q
Inserir linkShift + Alt + S
Remover linkShift + Alt + S
Tela cheiaCtrl + Shift + F

Revisão

Se você chegou até aqui, então, definitivamente, tirou suas dúvidas de como usar o WordPress. Você viu um pouco da história do CMS e os motivos que o tornaram tão famoso entre desenvolvedores e gestores de conteúdo. Também conheceu três formas de criar e publicar um site WordPress, e de quebra, dicas de onde encontrar temas profissionais, quais plugins padrões instalar para otimizar seu site e atalhos para aumentar sua produtividade.

Agora é só arregaçar as mangas e começar a espalhar seus “Hello World” pelos cantos da internet. Mas antes de ir, assine nossa newsletter para não perder nenhum post e tornar-se um mestre no WordPress. Até breve!

Melhor Hospedagem de Sites é um projeto com o objetivo de ajudar as pessoas a encontrarem o melhor provedor de hospedagem, trazendo informação e conhecimento sobre o universo de hospedagem de sites.

Receber novidades por email: